Pessoa Depressiva. Descubra o Que Não Fazer ao Lidar Com Ela

Por: Reginah Araujo

Surpreendentemente, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país com maior número de depressivos nas Américas, com 5,8% da população, ficando atrás somente dos Estados Unidos, com 5,9% depressivos. A doença afeta 4,4% da população mundial. Você sabe lidar com uma pessoa depressiva?

Infelizmente a depressão é o transtorno mental que mais afeta as pessoas. De acordo com especialistas, ainda carece de reconhecimento de que é sim um doença incapacitante e que afeta toda comunidade.

Além disso, necessita de apoio governamental para realizar investimentos eficazes que combatam os sintomas e previnam casos futuros.

Contudo o primeiro passo para lidarmos com a depressão, e acredito que seja a principal barreira é o PRECONCEITO. Devemos estar abertos e deixar que os fatos molde nossas opiniões, e não apenas pensamentos sobre o que supostamente achamos sobre a doença.

De acordo com o Dr. Gustavo Cabrera, paciente e titular da Faculdade Nacional de Saúde Pública Héctor Abad Gómez de Antioquia, diz que como paciente sentiu que a depressão é “a lepra do século XXI” e passou “30 anos de obscurantismo”. Devido à falta de apoio e informação.

Daí a importância de aprender e saber lidar com pessoas depressivas. Porque assim como você pega uma pessoa com osteoporose com cuidado para não machucá-la, da mesma forma é com os depressivos. A lógica é a mesma!

É necessário ter cuidado e ficar muito atento às suas palavras. Pois ao invés de ajudar você pode piorar a situação, lidar com depressivos é um processo muito delicado.

Qual a dimensão e a possível solução para a doença?

Quem pode salvar meu filho

Segundo dados da OMS esta doença afeta 300 milhões de pessoas, na américa latina cerca de 5% dos adultos sofrem com depressão e o impacto econômico é gigantesco, próximo de US$ 1 bilhão. Certamente que estes números podem ter aumentado e continuam aumentando devido a Covid-19.

Dessa forma o Dr. Cabrera acredita que as pessoas necessitam de maior “acesso a consultas psicológicas” e reivindicou “o direito de serem tratadas de forma abrangente”.

E a Dra. Laura Ospina Pinillos, especialista em psiquiatria e professora assistente da Universidade Pontifícia Javeriana complementa a ideia do Dr. Cabrera, reforçando que é fundamental investir na saúde mental de crianças e jovens para “obter maior retorno” na vida adulta. 

Outro ponto interessantíssimo levantado pela Doutora é a necessidade de investir em tecnologias ou em novas ferramentas digitais que favoreçam a telemedicina, proporcionando melhores e mais completos serviços à sociedade.

Quais os sintomas da depressão?

Á primeira vista os sintomas da depressão são:

  • Tristeza prolongada;
  • Apatia;
  • Angústia;
  • Falta de vontade de realizar tarefas diárias;
  • insônia
  • Mudança de apetite;
  • Ganho ou perda de peso;
pessoa depressiva

Estes são alguns dos sintomas da depressão, levando a uma perda de produtividade. Em casos mais graves a depressão pode levar ao suícidio.

Segundo dados da OMS, o suícidio causa uma morte a cada 40 segundos no mundo inteiro e 38 mil casos anualmente na América Latina.

Certamente para lidar com a doença do século, é preciso um esforço mútuo tanto de profissionais da área quanto das pessoas próximas ao depressivo.

Como VOCÊ pode lidar com a pessoa depressiva?

Primeiramente é preciso conhecer a fundo o desenvolvimento e as fases da depressão para que consigamos dar apoio e orientar da melhor maneira a pessoa que sofre com depressão. Pensando nisso, vamos ver o que não devemos fazer ao lidar com um depressivo.

  1. Acusar que ela está triste e deve fazer alguma coisa. Lembre-se ninguém pede para um enfermo para “parar de frescura” e levantar da cama porque o dia está lindo.
  2. Forçar ela trabalhar e estudar. O depressivo (a) está se sentindo no fundo do poço e essa cobrança vai fazer ele (a) se sentir muito pior por não conseguir realizar aquilo que os outros estão lhe propondo.
  3. Deixar a pessoa depressiva sozinha o tempo todo. É preciso ficar atento pois muitos pais acham super normal o filho ficar o tempo todo na frente do computador. Mas não é, isto é o primeiro indício de uma depressão.
  4. Acreditar que algum tipo de droga pode ajudar a pessoa em depressão. Isso é puro engano, porque quando a pessoa já está partindo para as drogas é um sinal forte de uma depressão mais acentuada, é uma fuga da realidade!
  5. Ignorar a tristeza do indivíduo depressivo, devemos buscar nos colocar no lugar dele, para que juntos vocês consigam encontrar uma solução.
  6. Não devemos descartar o acompanhamento profissional, seja um psicólogo, psiquiatra, hipnólogo e etc. Este profissional será fundamental na recuperação da pessoa depressiva.

Por fim ressalto que quando a pessoa depressiva chega ao ponto de fazer cortes em si mesma ou mostra inclinação para o suícidio é aconselhável internar essa pessoa para que ela receba os cuidados diários de pessoas especializadas que poderão reestruturar sua saúde emocional.

Então é preciso ser forte, não é fácil tomar uma decisão como essa! Muitas vezes quando pensamos em internar alguém imaginamos coisas ruins, mas não é assim ao internar está pessoa você optando por salvar a sua vida. 

Por isso o Projeto Quem Pode Salvar Meu filho nasceu, para orientar, debater e sobretudo encontrar uma solução plausível para um doença que mata tanto quanto o câncer.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.